Como fazer um PPRA passo a passo – Parte 1

Tempo de leitura: 7 minutos

Como fazer PPRA

Neste artigo você encontrará orientações básicas de como fazer PPRA para que os profissionais de segurança do trabalho ou empresas utilizem como um guia quando estiverem fazendo o PPRA pela primeira vez ou como referência de adaptação do PPRA já existente.

O conteúdo do PPRA deverá atender na íntegra o que recomenda a Norma Regulamentadora de nº 09 do Ministério do Trabalho e Emprego.

O PPRA deverá se estender a todas as áreas de trabalho ocupadas pela empresa, estando em harmonia com o PCMSO.

Criar um PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) exige muita atenção e embasamento sobre a empresa que está sendo ali citada e seus procedimentos.

Para isso, é importante que o responsável tenha contato direto com os funcionários envolvidos e tenha conhecimento de todas as atividades que a empresa executa.

A empresa é obrigada a ter o PPRA?

O PPRA é obrigatório para empregados em regime C.L.T., e sua finalidade é exclusivamente preservar a saúde e a integridade físicas de seus empregados.

É preciso realizar testes, avaliações, e fazer um monitoramento e controle dos riscos que existem nos locais de trabalho.

Qual a validade do PPRA?

Este programa deve ser revalidado todos os anos, ou sempre que ocorrer alguma mudança nos processos produtivos.

E ele deverá ser mantido arquivado na empresa por no mínimo 20 anos, para que trabalhadores ou autoridades tenham acesso a esses papeis.

Quem pode elaborar o PPRA?

Para garantir o êxito em seu PPRA, é importante que o responsável pela elaboração tenha um ótimo conhecimento sobre sua empresa.

Poderá ser feito por um serviço especializado de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT).

Ou por qualquer pessoa que seja capaz de realizá-lo.

vale ressaltar que na maioria das vezes o PPRA é feito pelo Técnico em Segurança do Trabalho.

Nesse artigo você aprende de forma eficaz a como fazer PPRA com resultado satisfatório.

Traremos a seguir etapas importantes de como fazer o PPRA que o documento deve seguir, divididos em duas partes:

Reconheça os riscos

Existem possíveis riscos na área de trabalho.  Sejam eles físicos, químicos ou biológicos, e todos devem ser citados no PPRA.

Você também deverá identificá-los, dar suas características e definir a localização dos locais considerados de risco.

Nos riscos físicos, inclua se há ruídos, vibrações, frio, calor ou pressões anormais.

Nos biológicos, se há presença de vírus, bactérias ou parasitas no local de trabalho.

Já nos riscos químicos é necessário explicar se existe substancias que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeira, nevoas, neblinas, gases e vapores.

Além disso, é necessário descrever se existem medidas de controle para evitar ou solucionar estes possíveis problemas que pode ocorrer durante o período de trabalho.

Faça uma avaliação e meça as medidas de controle

A avaliação nada mais é do que uma continuação do primeiro passo.

Utilizando equipamentos especializados para tal, é necessária uma avaliação dos riscos para verificar se eles se encontram no mesmo nível de tolerância que são permitidos por lei.

Já as medidas de controle são para determinar se é necessária alguma ação para eliminar, diminuir ou ao menos controlar os riscos ambientais que foram encontrados perante a avaliação.

Hora de colocar no papel

Com todas as informações acima já colhidas, é hora de colocar o trabalho em prática e capacitar-se como fazer PPRA:

Passe para o papel em forma de apresentação organizada tudo aquilo que foi encontrado durante sua visita.

Para manter o padrão exigido em uma PPRA, siga os seguintes passos!

Para a capa

  • O título, que obrigatoriamente deve ser PPRA;
  • Abaixo dele, deve vir o nome da empresa;
  • E por último, a data em que o PPRA foi concluído e a sua data de vencimento.

Para o índice

  • Para organizar seu PPRA de forma eficiente, é preciso elaborar um índice;
  • Identifique as páginas por numeração, seguidas da identificação de cada capítulo ali contido.
sumário

Documento base

  • É o PPRA propriamente dito;
  • Uma folha de rosto deve capear o conteúdo do trabalho;
  • Com o título “Documento base”.

Introdução

  • Aqui, serão identificados o nome da empresa que solicitou o serviço, além de um breve resumo do que será encontrado ao longo do manual;
  • É essencial relatar todos os dados que foram levantados para a realização do PPRA.

Objetivo

  • Nos objetivos deve ser constado o porquê do serviço ser realizado, com base nas leis que necessitam de transcrição neste trecho;
  • Mostrar quais são os objetivos de prevenção da saúde, e da integridade física dos trabalhadores.

Dados de identificação

  • Inclua todos os dados necessários para a identificação da empresa, como o nome fantasia, razão social, endereço, telefone, inscrição estadual, CNAE, responsável pela empresa, número de funcionários e grau de risco.

Veja o exemplo abaixo:

como fazer ppra
como fazer ppra

 Definição de atividades

  • É de extrema importância incluir, de forma resumida, todas as atividades que a empresa exerce.
  • Além disso, é preciso citar o seu ramo de atuação e de preferência, incluir também a sua localização;
  • Desenvolver uma planilha englobando:
  • A relação dos setores;
  • As funções dos trabalhadores;
  • Quantidade de empregados;
  • Descrição das atividades realizadas;
  • Descrição do local do local de trabalho.

Veja os dois exemplos abaixo:

passo a passo completo para fazer o ppra
passo a passo completo para fazer o ppra
ppra de sucesso
ppra de sucesso

Dados do responsável

  • Neste caso, são os dados de quem é responsável pela elaboração do PPRA. Inclua o nome, endereço, CNPJ, telefone, etc.
  • Os responsáveis pela elaboração do PPRA podem ser de um serviço especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), ou por qualquer pessoa que seja capaz de realizar o PPRA.

As responsabilidades do empregador

  • Aqui, costumamos reproduzir o item 9.4 da norma regulamentadora de número 09, que cita as responsabilidades por parte do empregador e também de seus empregados.
  • O empregador é responsável por providenciar a elaboração do teste, custeá-lo e garantir seu cumprimento.
  • Já o empregado colabora e participa na implantação do programa, e acatam todas as orientações recebidas no treinamento.

Integração com a CIPA

  • Os empregados terão a participação efetiva no programa, através dos seus representantes da CIPA, dando sugestões e informando a administração sobre condições que julgarem de risco.
  • O documento base, suas alterações e complementações deverão ser apresentados e discutidos na reunião ordinária da CIPA, quando existente na empresa, sendo uma cópia anexada do livro de ata dessa comissão.

E não para por aqui! Na parte II, você vai ter a continuação dos passos como fazer PPRA. Continue conosco!

Clique aqui para ir, como fazer um PPRA passa a passo – parte 2

Baixe o Modelo de PPRA clicando abaixo:

Para download do PPRA clique na imagem acima.

 

 

 

 

 

Se você realmente gostou deste artigo, Compartilhe com os seus amigos e ajude a melhorar cada vez mais esse canal :mrgreen:  😀  😉  😛  🙂  😆

 

 

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *